Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

… Até à lua

… Até à lua

desabafos que não posso ter contigo ...

A ditadura vs anarquia alimentar

23.jpg

 Hoje não estou bem. Sinto -me irritada e extremamente irritante. Não estou bem por me sentir uma merda por nem conseguir estar a fazer-te feliz. Esta minha obsessão pelo que podes ou não , pelo que deves ou não comer deixa -te triste e a mim angustiada e irritada. Por um lado irrita -me o não conseguires aceitar que o litro e meio de coca-cola por dia deixou de existir, que o bife de vaca com molho já não faz parte da alimentação e os queijos amanteigados já não serão colocados diariamente na mesa.  Será tão difícil entender que é pelo teu bem?Fazes as mesmas fitas de um miúdo de 9 anos quando não lhe deixam comer o que quer, refilas , bufas e eu sinto-me a mãe neurótica e obcecada . 

Não estou bem porque não te estou a saber fazer feliz. A puta desta doença quer roubar- nos tudo. Quer apoderar-se dos sentimentos substituindo-os por obsessões , obsessões que não sabemos se valem mesmo a pena. Não há certezas , e o meu estado de alerta é constante. 
Sei que é difícil para ti, compreendo e respeito e por vezes até aceito ceder, como foi o caso de hoje. Combinamos logo em casa que poderíamos ir jantar fora mas não havia Coca-Cola. É verdade que essa parte até cumpriste meio que contrariado mas logo que vi chegar aquele bife de vaca, cheio de óleo , com a batata gratinada onde se via perfeitamente o béchamel deixou - me pelos cabelos. Perdi o apetite só de ver o teu prato, não consegui seguir em frente com o meu…   Não estou bem porque sinto -me uma ditadora alimentar e por sua vez tu um anarquista da comida. O pior de tudo é a tua cara de quem não entende o objetivo disto tudo. Já nem sei que estratégias hei-de arranjar para entenderes que a alimentação está na base de tudo, não podemos querer acabar com uma doença sem querer cuidar do nosso corpo. Primeiro, há que criar um ambiente favorável, um ambiente equilibrado no nosso corpo, de forma a que os nossos tecidos celulares não se tornem doentes e com um maior risco de mal formações de reprodução. Sei que dito assim parece algo fundamentalista e até um pouco doentio mas acredito, verdadeiramente nisto que te estou a dizer. Ainda digo mais … acho que deveria fazer parte das consultas de oncologia esta chamada de atenção, um doente com cancro deveria ser acompanhado nutricionalmente, ser chamado a atenção para o tipo de alimentos que deve privilegiar segundo o seu caso… alimentos proibidos e permitidos. Acredito que em alguns casos até exista este acompanhamento mas no nosso caso nunca nos foi dito nada e hoje arrependo-me de não ter ganho consciência mais cedo. Ninguém aqui está a falar em ser-se extremista, estamos apenas a falar de uma doença grave como o CANCRO e a alimentação passa também pelo tratamento a par de todo o resto. 
Não vou desistir, vou persistir mas não me sinto bem. Não está a ser fácil a aceitação destas alterações … desgastam-te, desgastam-me e chateamo-nos os dois. Fico para morrer por não entenderes, e tu por eu não ceder.  Só Deus sabe o quanto não me sinto bem por isso, por não te estar a conseguir fazer sentir-te feliz logo agora que precisas. 
 
 
Vou confessar que hoje também me sinto particularmente irritada porque chegou a medicação indiana e não percebo minimamente como é que aquilo se toma e não enviaram qualquer indicação. Mais um dia perdido em enviar e-mail e esperar uma resposta. 
 
Ah e coincidência das coincidências , depois de termos chegado a casa a minha irmã tinha-me enviado este artigo. Nada é por acaso. 
http://m.visao.sapo.pt/pesquisa/todos/artigo/771222
 
Marlene Barreto Frazão