Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

… Até à lua

… Até à lua

desabafos que não posso ter contigo ...

Onde estiveste neste S. Valentim?

Passamos a vida a ouvir que o dia dos namorados não interessa, é mais um dia como tantos outros, namorar é todos os dias e blá blá blá… até pode ser bem verdade mas este foi o primeiro S.Valentim passado sem ti desde há tanto tempo e as lembranças doeram demais. Inicialmente, tentei ocupar o meu dia com limpezas e organização da casa, até que a determinado momento … julgo que ali mais ao menos à hora do almoço… peguei na tua fotografia, como se precisasse tanto de te sentir e não deu para controlar. Relembrei o dia dos namorados do ano passado. Lembraste? Fomos a Ribeira d’ ilhas comer marisco. Não andavas nada bem, andavas mal-disposto, com o estado de espírito tão em baixo… mas naquele dia fizeste questão de me levar a sair, de me proporcionar um momento especial. Era um dia especial e sabias bem, sabias o quanto eu gosto de valorizar estes momentos. Fecho os olhos e relembro. Relembro que estava deitada. Ainda era cedo e tu da sala, ligaste-me: “- Então, vamos?”, disseste. - “Vamos. Vamos onde?”, perguntei; “ É dia dos namorados, vou levar-te a almoçar.”. Ao ouvir aquelas palavras, o meu dia foi ganho, e ele mal estava a começar. Naquele momento vi aquela “força”, aquela vontade de não te entregares e foi demasiadamente importante para mim, para nós. 
Ontem dizia-te infinitas vezes “amo-te, amo-te, amo-te…” só queria que me ouvisses. As lágrimas lavavam-me o rosto e fazia um esforço para chorar baixinho como se quisesse esconder de alguém … de quem? Estava sozinha. 
Fui às fotografias que tínhamos tirado naquele dia no ano passado, no nosso último dia de S. Valentim, em que no título do artigo pedia quase encarecidamente ao Universo que os próximos dias fossem todos eles dias de S. Valentim. Tinha sido o dia mais desprovido de tudo, de presentes de flores ( recebi uma, aquela que me deste à mesa, porque a senhora do restaurante estava a passar e deu-te uma para me entregares) mas recheado de sentimentos e significados tão fortes. Guardo na minha mente os sorrisos, a tua luta com a sapateira e sobretudo a nossa ida à praia para sentir o vento na cara. Tão bom!! 

IMG_0349.JPG

 

Achei que aquela fotografia do “caminhar de lado a lado” que tirámos aos nossos pés na areia seria um bonito presente para colocar na moldura vazia que comprámos nesse mesmo dia ( há um ano atrás) no Bairro Arte ao terminarmos o nosso dia de S.Valentim no cinema do Alegro Shopping. Incrível a moldura hoje ainda estava vazia…e achei que não fazia sentido. A moldura dizia precisamente o que eu te queria dizer naquele dia e o que eu te quero dizer hoje: “ I Love You not only for what you are but for what i am when i am with you.” Agora sim está completa e onde estiveres vais certamente achar aquela “paneleirice” de costume mas bem sei que é a paneleirice que tu gostas.

IMG_0351.JPG

Hoje enquanto estava de volta do teu computador porque o meu tinha bloqueado , encontrei a pasta “Marlene”. Percebi que andavas a preparar mais um dos CD surpresa com as músicas que eu ia dizendo que gostava….

Senti-me especial ao ouvir cada uma delas. Já tinhas gravado 2 CDS surpresa nos anos anteriores… decoravas as músicas mal eu dizia que gostava. Nunca percebi como fazias isso, mas lá que conseguias, conseguias. Não tiveste a oportunidade de terminar este CD, mas eu tive a oportunidade de ser surpreendida ao encontrar aquela pasta de músicas. Foi mágico meu amor, como se aqui estivesses para me o oferecer , sobretudo depois do dia de ontem … precisava tanto deste carinho.

 

 

 
Amo-te até à lua meu herói … 
 
Nota: Já chegou o meu colar …é lindo :)
 
Marlene Barreto Frazão

3 comentários

Comentar post