Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

… Até à lua

… Até à lua

desabafos que não posso ter contigo ...

Sinto-me paralisada com medo…

09.jpg

Sinto-me paralisada com medo… sinto que o chão está a fugir e que por mais que tente controlar não estou a conseguir. Não estamos a intimidar esta doença, ela parece não ter medo de nada, já nós, dela sentimos pavor, pânico, sentimo-nos um valente pedaço de nada. Os olhares baixos e descrentes para connosco são facas que me espetam no peito… vejo nos olhos da médica a preocupação, a incerteza. Os poucos e singelos momentos de algum alento transformam-se em ilusões momentâneas. 

Logo pela manhã, li na Internet que hoje era o dia mais feio do ano mas tinha energia suficiente para acreditar que seria um dia importante nesta nossa caminhada. Acreditei que era hoje que irias começar aquele tratamento experimental, aquela luz vindadiretamente de um investigador Belga que esteve em Portugal especificamente para avaliar o teu caso. Aquele onde depositamos ainda um bocadinho de esperança que neste momento está tão escondida depois de vermos todo o resto falhar. Cá no fundo existe ainda uma luz, uma necessidade de acreditar que ainda vamos ser tão felizes ao ponto de voltarmos a pensar num futuro… 
Aquelas duas horas à espera das tuas análises foram infindáveis, mas valeriam a pena. Tentei passar-te alguma calma, pois respeito tanto a tua falta de paciência para tudo o que se relacione com médicos, análises, tratamentos ou exames, mas por favor não desistas agora… "Encosta a tua cabeça no meu ombro e tenta fechar os olhos e descansar, em breve teremos notícias", disse-te baixinho ao ouvido . Mas a tua cara já não aceitava palavras mansas, olhaste para mim com vontade de dizer " Chega, quero ir embora!" mas não, mantiveste a tua calma, aquela que é tanto tua e baixaste a cabeça como sinal de aceitação…. Respeito tanto o que estás a sentir, e até me sinto mal quando pressiono, quando te peço só mais um pouco de qualquer coisa …. mas eu não te posso perder caramba, não agora, não desta vez. Preciso tanto de ti. Não, não sinto que estou a ser egoísta, sinto que estou a ser eu, eu que sempre tive de lutar para conseguir o mais pouco que seja . E é isso que peço a DEUS agora, " o mais pouco que seja"… 
A força do universo não quis que hoje fosse o dia especial… as notícias chegaram e abalaram mais uma vez a pouca serenidade que resta: " Plaquetas demasiado baixas, vamos ter de adiar uma semana", disseram-nos. Isto é das piores coisas que nos podem dizer quando corremos contra o tempo, quando nos sentimos a andar em cima do um arame. Quem quer que seja que controle as nossas vidas cá em baixo, " Isto não se faz, não se faz … é desonesto"
Saímos do Hospital, parámos para comprar castanhas ao senhor que está sempre á porta e entrámos no carro. Não consegui dizer-te uma única palavra. O que é que há por dizer? Nada, vamos apenas usufruir da música daquele CD só nosso que há 8 anos toca diariamente naquele rádio e que já foi banda sonora de tanta vida nossa. Passados alguns minutos meteste a tua mão na minha perna como se me quisesses dizer que está tudo bem, tu conheces-me bem, sabes como estou preocupada mas também não comentas. Também te conheço meu amor como a palma das minhas mãos. É uma espécie de conversa sem palavras, pois neste caso há palavras que atrapalham bem mais do que alentam. Por isso aceitei apenas o teu carinho e devolvi-o colocando a minha mão por cima da tua e sorri… 
Depois de uma ida ao cinema para ver o Hobbit: The Battle of the Five Armies, que nem é muito o meu género de filme mas sabia que o querias ver há muito pois adoras toda aquela magia , e depois de saber que já estás confortável na nossa caminha a dormir , aproveitei para desabafar… desabafar com ninguém e com toda a gente ao mesmo tempo. As palavras já me custam dizer, já só prefiro escrever, escrever sem pressões, chorar sem pressões, pensar sem pressões, ir ao fundo sem pressões porque amanhã é outro dia e tenho de estar com energia.
 
Amo-te como nunca pensei amar alguém … coloquei como banda sonora deste desabafo a música do Hobbit: The Battle of the Five Armies… não a vou esquecer!