Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

… Até à lua

… Até à lua

desabafos que não posso ter contigo ...

Termina mais um ciclo e começa outro.

rio3.jpg

 

Hoje termina mais um ciclo de vida e não é fácil encarar isso mas é tão mais importante aceitá-lo. Este ciclo que começou sob a sombra de uma perda imensurável transformou-se numa espécie de demanda pela sobrevivência necessária. Olho pra trás e relembro o dia em que cheguei a esta cidade… repleta de dúvidas, de inseguranças e de um caos interior em ebolição. Os meses passaram e hoje no momento em que me despeço dela reconheço o quanto ela me fez crescer, mais ainda.O quanto ela me me ajudou a (re) encontrar, a colocar -me no “caminho”, no trajeto do auto-conhecimento, do amor próprio, da espiritualidade , da humanidade … no meu trajeto artístico, de quem estava perdida há muito (só achava eu…)
É certo que ainda não há distanciamento necessário para verbalizar o impacto que este ciclo teve na minha vida mas foi esmagador. Reencontrei tantas coisas, encontrei mais ainda, aprendi a valorizar outras demais e sobretudo descobri como é importante vibrar na energia do Universo, só ele sabe, só ele controla … e no final só tens de ser grata por isso. Devo confessar que a gratidão é das etapas mais difíceis no aprendizado mas quando entendes que o propósito é maior, quando compreendes o privilégio que é viver (e não me refiro à fisiologia) mas sim VIVER O AGORA, O INSTANTE, VIVER O UNO…compreendes que tudo o resto não tem importância. E depois sim, essa gratidão surge, surge pelo que tiveste a oportunidade de viver porque tiveste consciência de tudo e é aí que te sentes uma privilegiada. 
Aqui vi a generosidade do ser humano, o quanto as ligações de amizade criam elos incontornáveis e poderosos capazes de transformar a vida, o quanto é fundamental falar a mesma língua. Aqui encontrei quem falasse a mesmo língua que eu, a língua do coração, da emoção. Sorri muitas vezes com o coração, chorei variadas vezes também, desabafei as angústias da mente e o sofrimento do corpo, aqui festejei datas especiais com gargalhadas mas também com muitas lágrimas. Datas felizes, outras dolorosas mas havia sempre quem fizesse questão de as viver comigo. 
Depois desta experiência nunca mais serei a mesma, disso tenho a certeza. Consolidei conceitos que de outra forma talvez nunca teria conseguido e levo-os comigo para onde for que seja o meu endereço. Porque é só disso que se trata, a mudança de endereço … a minha ligação ao RIO apenas começou e esse é mais um orgulho que que levo. Ir com data de regresso é maravilhoso . Ir com todos os check’s da lista (profissionais e não só) feitos e perceber que outros se desenharam e criaram uma base de regresso é surpreendente e único. 
 
Agradeço em primeiro lugar ao universo toda esta oportunidade, a ti meu AMOR que passaste a vibrar comigo numa energia única, às MULHERES incríveis que surgiram na minha vida e que tão bem quanto eu sabem que não foi ao acaso ( Joana, Rita, Inês, Sara) e que falam a mesma língua que eu. À Susana que comigo chorou, muitas vezes, as minhas angústias e partilhou o seu sorriso, ao grupo inicial do “ à espera de …” ( Ângelo até do teu pragmatismo e das discussões tenho saudades) aos professores, mentores e profissionais que conheci e que me recolocaram no caminho, ao Thiago por acreditar em mim e dar continuidade a este “sonho”profissional,  aos meus colegas, amigos que foram os maiores parceiros, aos Lacraia da vida, aos que chegaram e que foram (Benny, Marta, Gabriela, Gonçalo, Gustavo) e que tive o privilégio de fazer de anfitriã, ao encontro cósmico com o Bergonse e o Bashir ( “Deus está nas coincidências”, diz Nelson Rodrigues), à Juliana que me acompanhou na peça "Mamãe" e que pra mim teve um significado cósmico, ao Eduardo que me proporcionou a concretização de um desejo de uma vida, ao Hugo com quem “passei” um pouco daquilo que aprendi, ao Edu e Duarte que me receberam de braços abertos, ao Jorge que partilhou da minha “pilha” inicial, à Brina e Carla que foram “felizes” comigo, ao Gustavo Otero  (…) em último mas dos mais importantes ao TIO que esteve SEMPRE lá. OBRIGADA a todos os que fazem a diferença na minha vida. 
 
 
Hoje sou uma mulher com uma grandeza emocional, espiritual, humana e artística maior ainda … agora que os dados estão lançados, que o UNIVERSO vibre para um crescimento conjunto. 
 
Marlene Barreto Frazão 
 
 
 
 
 

5 comentários

Comentar post