Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

… Até à lua

… Até à lua

desabafos que não posso ter contigo ...

"Vai, acredita porque és tão capaz"

O dia da mulher seria mais um dia como outro qualquer. No entanto , o dia de hoje ficará marcado por uma etapa importante para mim. Reflecti muito se estaria preparada, se seria o momento e cheguei apenas a uma resposta: nunca é o tempo se não formos nós a obrigá-lo que seja. Sinto -me pequenina, fragilizada e um verdadeiro passarinho de gaiola cheia de angústias e medos por esta “liberdade " não desejada. Equiparo-me a uma criança que começa a dar os primeiros passos … O percurso é assim meio desiquilibrado e a “medo” como se a certa altura se esteja a esperar o tombo . 

Uma parte de mim partiu e agora é adaptar-me à ausência. Há quem diga que a dor vai tornar-se mais suave e suportável mas ainda não experimentei essa suavidade. E neste momento poucos são os que me podem ajudar. Ninguém compreende suficientemente as recaídas e crises de choro  … todos pedem para seguir em frente, mas essa é a frase balofa que que prefiro não ouvir. Seguir em frente é o que faço todos os dias desde que foste embora. Seguir em frente é a obrigação de qualquer ser humano que anda no mundo. Seguir em frente pressupõe recuar e avançar e recuar novamente .... Não fujo dos sentimentos cruéis.... O sofrimento faz - me sentir pessoa... A pessoa que sente muitas saudades tuas.

Neste momento falta 1h30 para pôr os pés em terra... Há 15 horas que sobrevoo o Atlântico e que a minha cabeça não pára. Vejo o teu sorriso, imagino o teu abraço e a sensação de te tocar. Fazes-me falta meu herói. Era do poder do teu cheiro que precisava agora.

Queria -te aqui, ao meu lado para partilhar este passo contigo e para que, como sempre, me pudesses dizer: "Vai, acredita porque és tão capaz". Acreditaste sempre nisso meu amor, que eu era capaz, até mesmo quando tinha de fingir ter essa força toda do mundo. Queria aterrar e poder ligar-te e contar as minhas conquistas, os meus stresses, as minhas inseguranças aqui deste lado. Vim estudar mais ( como sempre quis), tornar- me mais capaz na minha área, aprender, trabalhar, produzir e vestir vários "eu's" mas acima de tudo descobrir este novo "eu" a quem ainda não fui apresentada. Quero ser o teu motivo de orgulho , quero ser o meu motivo de orgulho. 

malas.jpg

Antes de partir, consegui cumprir o desafio. Consegui voltar ao serviço de oncologia. Tinha de lá voltar e abraçar aquela pessoa que nos acompanhou praticamente 7 anos: a Dra. Luisa. Tremia por todos os lados antes de entrar, pois sabia que me poderia fazer mal ... Mas fez bem, muito bem. Abraçámo-nos, falámos de ti e da forma estóica como viveste todo este processo, de nós, emocionámo- nos juntas ao te recordar. “ Nunca tinha conhecido um PAULO e provavelmente não sei se voltarei a conhecer, Marlene, e olhe que tenho muitos anos disto”; disse-me.  Todos têm feito um esforço para me ajudar e dizer coisas bonitas mas acho que nenhuma conversa me ajudou tanto como esta. Deu-me força, encheu-me de orgulho… ainda mais. Ela conhecia tão bem a tua essência, a nossa essência….e essa porta ficou destrancada como todas as outras que se relacionem com a tua memória…. 

“Mantém -te focada” - como sempre dizias é a frase que te oiço dizer ao ao meu ouvido. E é isso que prometo tentar fazer por aqui… e ouvir o meu coração. Ouvindo-o, estarei a ouvir-te a ti, certamente e a seguir o melhor caminho. 

rio.jpg

Amanhã já vou conhecer as escolas. Começo brevemente. Os próximos meses serão por aqui.

Adorei o presente dos “nossos” miúdos. Sempre comigo.  

superhomem.jpg

 

Amo-te até à lua príncipe.

Marlene Barreto Frazão

 

PS: Obrigada à minha irmã, pela força incondicional e por nunca me deixar desistir sobretudo quando a motivação não existe. Um especial beijinho à tia Antonieta pela força esmagadora que não me tem deixado cair.

2 comentários

Comentar post